+
+

Diretor Artístico – Coreógrafo

Fábio Aragão

Fábio Aragão nasceu em Salvador, Bahia. O jovem coreógrafo e bailarino começou a dançar em 1994, no grupo de dança moderna do SESI, criando suas primeiras coreografias: O Mosquito, Labirinto da Loucura e O Encontro.

Em 1995, ingressou na Escola de ballet clássico Miriam Bacelar e, em 1996, na Faculdade Federal da Bahia, no curso de Licenciatura em Dança. No mesmo ano, foi convidado a integrar a Jorge Silva Company, em Salvador.

Em 1997 entrou para a Companhia de Dança Ballet Rural Bahia, sob a direção de Marcelo Moacir. De 1997 a 1998, ingressou na companhia Dance Brazil, com sede em Nova York, sob a direção de Jelon Vieira, nos espetáculos "Quilombo" e "Camará", onde foi solista. Em 1998 trabalhou na Companhia "Viladança" do Teatro Vila Velha, Salvador -BA, sob a direção de Cristina Castro.

Em 2000, mudou-se para Paris e começou a trabalhar com renomados coreógrafos em grandes comédias musicais: "Les Mille et Une Vies D'Ali Baba", apresentado no Zenith, em Paris; "Notre Dame de Paris" (2001), no Théâtre Mogador, e "Cindy" (2002), no Palais des Congrès, entre outras.

Em 2001, o coreógrafo Roland Petit o convidou para fazer parte da sua companhia no "Duke Ellington Ballet", em colaboração com o balé Maky Asami (apresentado em Tóquio em 2001 e 2003). Ele também é solista em "Delit d’ivresse” (2002), apresentado no Auditório Saint-Germain-des-Prés. Em 2004, participou do balé "Roland Petit Raconte les chemins de la création”, no teatro du Suresnes Jean Vilar.

Entre 2005 e 2008, retorna ao elenco de "Notre Dame de Paris" para a turnê na Ásia (Coreia do Sul e Taiwan) e para espetáculos em Montreal (Quebec, Canadá). A partir de 2006, trabalhou com outros coreógrafos, como Karine Saporta (Dans Le Regarde De La Nuit II), com a companhia PH7 (Tenue Correcte Exigée e Abraxas), Sophie Carlin (Racine de 2) e Georges Momboye (Sacre du Printemp e Entre le Ciel et Terre).

Em 2009, ingressou na Companhia Thor com o espetáculo ‘To the ones I love’. No mesmo ano, criou e produziu o espetáculo “Moi, un lac de tristesse”. Em 2010 trabalhou no Opera Aida, realizado por Stade de France.

Em 2011, voltou a trabalhar com a companhia de Georges Momboye (Empreintes Massai) e montou a sua companhia, a F.A. Contemporary Danse Company, produzindo o espetáculo “Perdas e Danos”, em Aveiro, Portugal.

Em 2012, filmou, editou e criou a música para o filme “Despir o Desejo”, por ocasião do livro-instalação “A Louca Debaixo do Banco”, de Fernanda Young, realizado no Museu da Imagem e do Som de São Paulo, em outubro.